Jeff Carvalho

Olá, tudo bem? Aqui é o espaço que escolhi pra colocar tudo aquilo que não achei outro lugar pra colocar.
Recent Tweets @jeff__carvalho

Last year, I met the Cesar Kuriyama’s project named “1 Second Everyday” (thanks for showing this, Anynha), and it inspired me so that I felt the need to do the same, I decided to record, during 2013, a second per day.

You could ask yourself: A second? Why not longer?

You’d be surprised at the amount of feelings that can bring a single second. This project makes me enjoy the simpler moments in my life and this is something fantastic.

I want to thank all those who made my year, especially those that appeared in this video and, of course, thanks Cesar Kuriyama, you inspired me.

The most of the videos were record by a Samsung Q10, 1 second was record by a Samsung S3 (thanks, Vanessa), 3 seconds by a Sony NEX-F3 (thanks, César) and 16 seconds by a Motorola Razr D1 (a little tip: don’t use a Razr D1 to record videos).

2 seconds are made by my little sister Millena Carvalho.


Um segundo por dia - Ano 18 from Jeff Carvalho on Vimeo.

Desde que eu me entendo por gente, talvez esse tenha sido o ano que acabei por aceitá-lo do jeito que foi, não penso que ele deveria ter sido melhor ou que foi pior em comparação aos outros, esse ano foi o que tinha que ter sido e fico feliz por isso. 

2013 foi um ano de mudanças geográficas, ideológicas… e o acabo com o sentimento que todas as decisões que tomei foram as melhores que podia tomar. Nesse ano conheci pessoas maravilhosas, tive que lidar com um número imenso de personalidades únicas com seus devidos modos de enxergar o mundo e isso foi uma das partes mais divertidas. 

Nesse ano comecei a morar só, numa cidade completamente nova, precisei desenvolver novas habilidades de sobrevivência como não queimar o feijão e descobrir que a louça não se lava sozinha.

Não tenho o que reclamar de 2013, não posso reclamar de um ano que me fez crescer e amadurecer um pouquinho, que até com algumas crises de rins consegui extrair o melhor da situação e perceber que tudo é passageiro, até a dor de parir um alien rochoso pelo seu… … bem…


Obrigado pessoas que fizeram parte da minha 18º temporada e que vocês tenham um excelente 2014.

image

Eu não sou muito adepto ao jailbreak, só fiz uma vez (lá na época do iOS 4, se não me engano) e me senti sujo com isso (???), mas tinha uma coisa que eu adorava quando meu dispositivo estava jailbreakzado (?), eu podia jogar os joguinhos do Super Nintendo sem nenhum problema no meu iPad. No Android é tudo mais tranquilo, existem emuladores bons e baratos e até mesmo gratuitos, inclusive tenho um instalado no meu, mas não é o caso. A questão é: Como ter um emulador de Game Boy, Super Nintendo e afins sem a necessidade de fazer jailbreak no iOS? É mais simples do que você pensa.

Read More

Muito bom o texto. 

naocontepramamae:

Nego acha que brasileiro é passivo, que aguenta tudo, que não bate panelas como os argentinos.
Mas historicamente, acreditar nessa passividade é um equívoco.
Talvez seja o que parece, porque vivemos o momento atual e ainda não temos a perspectiva histórica que só o tempo oferece.
Talvez pareça…

Chega um momento da vida que você simplesmente precisa sair da bolha, seja na hora de procurar outro emprego, desenvolver alguma habilidade ou ir para a faculdade, é nesse último que quero focar. 2011 começou esse processo, fim do terceiro ano, aquelas pessoas que você se apegou… cada uma indo para um lado, algumas relações “para sempre” se quebrando, outras “nem pensar” ficando mais forte e assim o processo natural de fases acontecendo.

É engraçado passar por esse momento, pois na mesma medida que é algo empolgante, novas pessoas, nova cidade, momentos inéditos… é chato pensar nos amigos que você não irá mais ver com frequência, aquelas horas que tudo está calmo e pacífico, do nada começa a chegar um…outro e no final você está cantando Beautiful Girls no terceiro andar… não serão mais tão comuns ou quando até o fim do mundo vira motivo pra colocar o sufixo “party” e nos encontrarmos.

Nós podemos ver quem realmente é importante nesses transições de fases, quem estará conosco mesmo quando a geografia deixa de ser só uma matéria chata do colégio e se torna um obstáculo, quantas pessoas já perdi o contato por conta dessa bendita? Mas não importa, esse texto é para agradecer pela existência daqueles verdadeiros amigos, que não foi fim do ensino fundamental, médio e até do cursinho antes da faculdade causadores de afastamento, se mantiveram presentes, cada um de sua forma… que depois dessas reuniões relâmpagos que fazemos, o sentimento é de continuação, não há clima estranho ou falta de assunto, continuamos de onde paramos em uma sincronia perfeita, nada é afetado e é essa a beleza que queria registrar para fins de pesquisa no futuro.

:)

Talvez o Jeff de um passado longínquo não sentisse falta de pessoas assim ao seu redor, sociabilidade não era um dos meus fortes, mas hoje não me vejo sem vocês por perto… mais um checkpoint sendo ativado no próximo mês, um dos maiores até agora, talvez o “próximo” sempre seja o maior, não sei… parece que a coisa vai ficando em um level maior, enfim. Vamos ver no próximo.